Reabilitação / habilitação neuropsicológica

image psicoterapia

O que é reabilitação / habilitação neuropsicológica?

A reabilitação neuropsicológica é um processo que busca capacitar pacientes com prejuízos cognitivos, oferecendo-lhes um maior ajustamento biopsicossocial, proporcionando, ao maior nível possível, sua capacidade de autonomia e independência dos demais.
Esse processo também implica em orientar os familiares e/ou cuidador para que esses tenham maior habilidade em lidar com as conseqüências físicas e psicólogas causados por lesão, doença, ou pelas conseqüências decorrentes do abuso de drogas.

O que eu posso esperar?

A reabilitação objetiva melhorar a qualidade de vida dos pacientes e familiares, otimizando o aproveitamento das funções total ou parcialmente preservadas por meio do ensino de “estratégias compensatórias, aquisição de novas habilidades e a adaptação às perdas permanentes”.
O processo de reabilitação proporciona uma conscientização do paciente a respeito de suas capacidades remanescentes, o que leva a uma mudança na auto-observação e, possivelmente, uma aceitação de sua nova realidade (D’Almeida et al., 2004).
A avaliação neuropsicológica é realizada mediante a aplicação de uma bateria de testes psicométricos que procuram identificar o rendimento cognitivo funcional, a partir do conhecimento de suas relações com o funcionamento cerebral. A avaliação neuropsicológica permite investigar uma determinada função cognitiva para observar sua integridade ou comportamento. (Interação em Psicologia, 2011, 15(n. especial), p. 47-58)

Níveis de atuação das Intervenções Neuropsicológicas:

  • Restabelecimento: intervenção direta com funções cognitivas alteradas com potencial de restabelecimento ou melhora: treino cognitivo (treino atencional, memória, linguagem, etc.).
  • Reorganização/Compensação: áreas cerebrais funcionais intactas são recrutadas para desenvolver mecanismos adaptativos: mnemotécnicas, estratégias ou auxílios internos e técnicas de aprendizagem (Associação nomeface, PQRST, etc.); auxílios externos (agendas, calendários, celulares, caixa de medicamento, etc.)
  • Modificações no ambiente: adaptações ambientais para reduzir os prejuízos no desempenho das AVDs (tecnologia assistiva, gavetas, telefone com teclas grandes, etc.) Wilson 1987, 2000, 2007.

Abordagens nas Intervenções Neuropsicológicas:

  • Estimulação Cognitiva (EC): atividades que estimulam o funcionamento cognitivo e social de maneira global (oficinas de memória, grupos de leitura, discussão de temas, games, etc.).
  • Treino Cognitivo (TC): técnicas estruturadas para exercitar e melhorar funções cognitivas específicas (atenção, memoria, linguagem, etc.).
  • Reabilitação Cognitiva (RC): programas com foco em estratégias compensatórias para os comprometimentos cognitivos, comportamentais, emocionais, sociais e relacionados às AVD (atividades da vida diária) (Clare, 2005).